Tendências de Gestão de Facilities para 2022

Tempo de Leitura: 4 minutos 

Gestão de Facilities – ou, Facility Management – tem conquistado cada vez mais espaço nas organizações. A área tem passado por grandes mudanças, sobretudo por conta das novas tecnologias existentes, da pressão da sociedade por atitudes sustentáveis e da necessidade de diminuir custos e aumentar a eficiência das gestões. Dentre tantas mudanças, há algumas tendências de gestão de facilities muito relevantes para os profissionais da área. Confira quais são elas: 

 1) Reconhecimento do papel estratégico 

Cada vez mais, as empresas têm percebido a importância do papel do Gestor de Facilities para o negócio. Não é apenas uma função, mas uma posição que tem se tornado estratégica. 

Em agosto de 2021, o Comitê Aberje de Comunicação e Estratégia em ESG – Environmental, Social and Corporate Governance (do inglês, Governança Ambiental, Social e Corporativa) preparou um encontro sobre “Gestão de crises de assuntos relacionados a ESG”. Após o evento, foram divulgados os 5 insights fundamentais para qualquer organização. 

Dentre eles, concluíram que todas as ações de uma empresa impactam em sua imagem e na confiança do público – seja cliente, parceiro, funcionário ou qualquer outro stakeholder. Além disso, condutas éticas tornam o local mais seguro e agradável – o que resulta em colaboradores mais saudáveis, mais dispostos para o trabalho e mais satisfeitos com a organização. Por fim, é importante ressaltar que “empresas com governança fortalecida e foco em ESG tendem a permanecer resilientes na crise e ter vantagens reputacional e competitiva”.  

Todos esses aspectos fazem parte do dia a dia do Facility Management, além de impactar diretamente no lucro e reputação da marca. Por isso, as empresas vêm reconhecendo seu papel estratégico. 

 2) Facility Management totalmente integrado e em sinergia com todas as áreas da empresa 

Katia Gadelha, gestora e consultora de facilities, reconhece que as empresas têm aberto espaço para o gestor de facilities estar integrado e em sinergia com todas as demais áreas, sobretudo a de pessoas. Afinal, sua participação nas discussões e decisões estratégicas traz uma visão importante e diferenciada para a empresa. 

Tendências de Gestão de Facilities

3) Investimento de Facility Management em práticas sustentáveis 

Outro tópico que também está entre as tendências de gestão de facilities é a implementação de ações de sustentabilidade em todos os processos organizacionais. Trata-se não apenas do cuidado com o meio ambiente, mas também das questões sociais e econômicas. 

A criação da Norma ISO 41000 e da Certificação Fitwell veio para somar nesse cenário, seja contribuindo para a melhora da qualidade de vida e bem-estar das pessoas, seja para a manutenção dos ambientes. Elas surgiram da necessidade do mercado em padronizar e melhorar a gestão de facilities. 

O Facility Manager também está, por exemplo, utilizando mais softwares de gestão para reduzir o uso do papel, tornando as Ordens de Serviço digitais. Além disso, é possível substituir as lâmpadas de LED por soluções mais limpas, como painéis solares. 

Descubra 8 benefícios de utilizar um software de gestão de facilities 

 4) Soluções de facilities com o apoio da tecnologia 

A tecnologia facilita – e muito – o dia a dia do gestor de facilities. Uma empresa de terceirização de limpeza, por exemplo, deve utilizar a tecnologia  para aumentar a eficiência da sanitização de um ambiente hospitalar. É possível também utilizar um software de gestão para tomar decisões baseadas em relatórios e melhorar seus resultados. Outras empresas podem usar equipamentos para testes de análises microbiológicas a fim de verificar a qualidade do ar.  

IoT – Internet of Things (do inglês, Internet das Coisas) tem tornado ambientes mais inteligentes. Para isso, tem-se utilizado sensores e termostatos para controlar temperaturas, nível de iluminação e ruídos. A presença e o fluxo de pessoas também podem ser medidos, por exemplo, para determinar o momento ideal de realizar uma limpeza ou para definir qual o dia e horário mais indicado para a manutenção de um equipamento.   

A mudança já está acontecendo – e não tem volta. 

  5) Automação de tarefas também é um das tendências de gestão de facilities

 Com o auxílio da tecnologia, as tarefas têm se tornado mais automatizadas – seja com o uso de softwares, plataformas ou da internet das coisas. As empresas vêm utilizando esses recursos para ter mais controle, qualidade e agilidade em suas gestões. Pode-se, por exemplo, controlar as tarefas da equipe e definir checklists padronizados, conferir o tempo de trabalho de cada colaborador em uma tarefa específica, solicitar Ordens de Serviço e até controlar a temperatura de um ambiente ou refrigerador. Tudo isso automaticamente, sem a necessidade de uma pessoa preenchendo um papel ou uma tabela no Excel. 

Também tem crescido o uso de máquinas e robôs para algumas tarefas, tanto para carregar caixas pesadas quanto para a fabricação de produtos. Katia ressalta o movimento que tem acontecido no campo, onde o uso de equipamentos também tem se intensificado e contribuído para o aumento e qualidade da produção. 

6) Especialização e terceirização 

Outra tendência  é a procura por mão de obra especializada. Se antes um técnico se responsabilizava por quase tudo, hoje um eletricista é chamado para verificar a parte elétrica e, um encanador, para os sistemas hidráulicos. 

Para melhorar sua eficiência, aumentou o número de empresas que terceirizam os serviços, como os de limpeza e os de manutenção. Assim, é possível ter um técnico especializado sempre que necessário – e, quando esse precisar faltar em algum dia, a organização poderá contar com outro colaborador enviado pela contratada. 

Colaboração Técnica

Katia Gadelha – Com atuação em Facility Management há mais de 29 anos, é membro voluntária da Diretoria de Eventos da ABRAFAC e do Comitê de Desafios no Workplace. Também faz parte da Comissão de Estudo Especial de Facility Management CEE267 (ABNT ISO 41000), do Grupo Mulheres em Facility Management e Workplace e do Grupo de Gestores de Facilities – GRUPAS. É Líder do Grupo Facility Open e do Grupo Amigos em Conexão – Apoio a recolocação profissional e conexões genuínas.  


Leia também:    

Como melhorar a gestão das equipes técnicas de facilities? 

Conheça 6 boas práticas para um gestor de facilities: confira as dicas! 

Confira 4 desafios dos prestadores de serviço na gestão de facilities   

,
Menu